Litoral

Porto de Antonina investe R$45 milhões em seis novos silos para cevada, malte e trigo

O porto Ponta do Félix, localizado em Antonina, no Litoral do Paraná, deverá inaugurar no segundo semestre deste ano seis novos silos verticais para o recebimento de cevada, malte e trigo. Cada silo terá capacidade estática para 6.700 toneladas, totalizando 40 mil toneladas. Ao todo, estão sendo investidos R$45 milhões na construção. As obras integram o projeto de ampliação do Porto e que também prevê a construção de um novo armazém para fertilizantes – em área de 17 mil metros quadrados – com capacidade para 120 mil toneladas. Atualmente, o Ponta do Félix conta com 65 mil metros quadrados de infraestrutura de armazenagem, com capacidade estática estimada em 270 mil toneladas – chegando a 2 milhões de toneladas de movimentação por ano. Para ampliar o recebimento de cargas, obras de expansão estão em andamento e, após todas as fases concluídas, a estimativa de capacidade estática sobe para 430 mil toneladas. “Os investimentos…

InterAlli é um dos primeiros terminais portuários de grãos do Brasil a conquistar certificação internacional de segurança

A InterAlli Grãos – empresa que opera no Porto de Paranaguá – é um dos primeiros terminais de grãos no Brasil a conquistar a certificação internacional de segurança emitida pela Comissão Nacional de Segurança Pública nos Portos, Terminais e Vias Navegáveis (Conportos), sob a resolução Nº 53/2020. O documento é direcionado para terminais que cumprem normas de segurança rigorosas, atendendo ao ISPS Code – o Código Internacional para Segurança de Navios e Instalações Portuárias. Na prática, a norma internacional determina o controle de acessos e monitoramento aos terminais portuários, trazendo mais segurança no fluxo das operações. O Estudo de Avaliação de Risco (EAR) e o Plano de Segurança Portuária (PSP) apresentados pela InterAlli Grãos foram homologados pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública. A decisão do Ministério foi publicada no Diário Oficial da União – edição 71. De acordo com o gerente-geral da Interalli Grãos, Helder Sorgi Catarino, a certificação demonstra o trabalho…

InterAlli Grãos dobra capacidade de armazenamento e totaliza 35 milhões de toneladas movimentadas no Porto de Paranaguá

Em 22 anos de operações no Porto de Paranaguá, a InterAlli Grãos movimentou mais de 35 milhões de toneladas de produtos como soja, milho, farelo de soja, sorgo e açúcar. Além disso, sua capacidade estática mais que dobrou, passando de 50 mil para 110 mil toneladas. As operações da InterAlli Grãos – que possui localização privilegiada dentro do Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá – iniciaram nos anos 2000 e completam mais de duas décadas nesta quarta-feira (16). Grande parte do que é movimentado de soja no Porto passa pela InterAlli Grãos, sendo que o terminal se destaca também na movimentação de milho. De acordo com o diretor do Grupo InterAlli, Fabrício Fumagalli, os investimentos constantes feitos no Terminal desde o início das operações foram fundamentais para aumentar a produtividade e qualidade na movimentação dos produtos. “Fomos pioneiros na instalação de tombadores de 25 metros, além do sistema de…

Aquecimento do mercado de fertilizantes exige planejamento dos produtores rurais

A crise geopolítica e energética – que está refletindo na produção e exportação de fertilizantes em países como China, Rússia e Bielorrúsia, ocasionando em uma menor oferta do produto em 2022 – traz um alerta de especialistas aos produtores rurais: planejamento para adquirir o produto o quanto antes. Isso porque o impacto na redução das exportações, que já elevou o preço do produto em 2021, deverá aparecer neste ano.  No ano passado o Brasil ainda conseguiu aumentar a importação e atingiu a marca recorde de 41 milhões de toneladas descarregadas nos portos do país. A Portos do Paraná – que abrange Paranaguá e Antonina – informou que entre janeiro e novembro de 2021, foram descarregadas 10,5 milhões de toneladas de fertilizantes. Para o presidente do Sindicato da Indústria de Adubos e Corretivos Agrícolas no Estado do Paraná (Sindiadubos), Aluísio Schwartz Teixeira, as perspectivas são muito boas para o agronegócio neste…

Porto Ponta do Félix fecha 2021 com operação de carga inédita

O Porto Ponta do Félix está recebendo uma carga inédita de pellets de madeira à granel. A exportação de 15 mil toneladas do produto tem como destino a Itália, com navio previsto para atracar na primeira quinzena de dezembro. A operação faz parte da diversificação de cargas do Porto, o que permitiu um aumento de 70% na movimentação em 2021. O produto é de fabricação brasileira, produzido no Sul do país. Com a proximidade do inverno europeu, os pellets de madeira são utilizados como insumos para sistema de calefação, com finalidade residencial. Os produtos serão comercializados em lojas, em diversos pontos do continente. De acordo com o diretor-presidente do Porto Ponta do Félix, Gilberto Birkhan, a ampliação de portfólio, atendimento diferenciado e know how em operações especializadas permitiu o crescimento na movimentação deste ano. “Tivemos diversas operações inéditas neste ano, entre elas, a importação de malte, big bags com alimentos…

Redução na importação de fertilizantes alavanca uso de big bags

O agronegócio brasileiro está sendo impactado pela alta nos preços dos fertilizantes, devido à redução da oferta de matéria-prima – insumos como cloreto de potássio, ureia e fosfato – importados de países como Rússia, Canadá e Marrocos. Para reduzir custos de transporte e manter a integridade do produto que chega para o plantio, produtores rurais e cooperativas estão apostando no uso de big bags – embalagens sustentáveis que permitem o envio ao campo com maior agilidade, segurança e praticidade para o armazenamento. “É importante garantir mais qualidade ao produto que vem para o Brasil, pensando também na qualidade com que ele vai chegar até a cooperativa que faz a distribuição destes fertilizantes”, explica Leandro Klaus, gerente da Delta Porto – empresa especializada em movimentação de big bags e que atua no Porto de Paranaguá (PR). O Brasil, 4º maior consumidor de fertilizantes do mundo, depende do mercado externo para abastecimento.…

Navigate