InterAlli Grãos dobra capacidade de armazenamento e totaliza 35 milhões de toneladas movimentadas no Porto de Paranaguá

Em 22 anos de operações no Porto de Paranaguá, a InterAlli Grãos movimentou mais de 35 milhões de toneladas de produtos como soja, milho, farelo de soja, sorgo e açúcar. Além disso, sua capacidade estática mais que dobrou, passando de 50 mil para 110 mil toneladas. As operações da InterAlli Grãos – que possui localização privilegiada dentro do Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá – iniciaram nos anos 2000 e completam mais de duas décadas nesta quarta-feira (16).

Grande parte do que é movimentado de soja no Porto passa pela InterAlli Grãos, sendo que o terminal se destaca também na movimentação de milho. De acordo com o diretor do Grupo InterAlli, Fabrício Fumagalli, os investimentos constantes feitos no Terminal desde o início das operações foram fundamentais para aumentar a produtividade e qualidade na movimentação dos produtos.

“Fomos pioneiros na instalação de tombadores de 25 metros, além do sistema de pesagem rodoviária autônoma, ou seja, sem a presença física de balanceiro. A InterAlli Grãos investe constantemente na implementação de sistemas de automação que possibilitam mais agilidade e confiabilidade nos processos de recepção, descarga e embarque. Estes sistemas facilitam e melhoram a gestão do cotidiano do Terminal e do atendimento aos clientes”, destaca Fumagalli.

O terminal foi o primeiro a se credenciar e operar com entrega física de soja na Bolsa de Valores (BM&F, atual B3), além de ser o primeiro a operar um navio na modalidade de carregamento Super Berço. O sistema – implementado pela Portos do Paraná (APPA/2016) – torna mais rápido o carregamento de grãos no Corredor de Exportação.

Para o gerente da InterAlli Grãos, Helder Catarino, a comemoração dos resultados do terminal de grãos reconhece a importância dos investimentos nesses 22 anos.

“A inovação está no DNA do time InterAlli Grãos. Isso vem sendo reforçado com a contratação de profissionais de tecnologia que se integram e multiplicam conhecimento aos demais colaboradores. Treinamentos regulares são realizados com todas as equipes de trabalho, gerando valor e qualificando os times. Assim, atingimos melhores níveis de atendimento aos clientes, resultados positivos aos acionistas e crescimento do Porto de Paranaguá como um todo”, explica Helder.

Investimentos para 2022 – O foco dos investimentos do terminal para 2022 permanece em criar soluções autônomas, eficazes e com maior eficiência aos usuários. Esse processo está pautado na utilização de recursos tecnológicos como inteligência artificial, aplicativos, machine learning, entre outros. Para Helder, a tecnologia e automação de sistemas de gestão vão permitir ainda mais sucesso nas operações dos próximos anos.

“Estamos implementando um sistema que permite compartilhar com os clientes as informações necessárias de forma online, 24 horas por dia, afim de facilitar e dar maior assertividade nas decisões portuárias do dia a dia. Com isso, não existe a necessidade de esperar relatórios das agências marítimas, Portos do Paraná, ou mesmo ‘inputs’ do próprio Terminal. Esse é apenas um dos primeiros passos que tornará o processo de logística portuária menos complexo, mais dinâmico, mais eficiente e mais rentável aos usuários do Porto”, detalha Helder.

Ações ambientais – A gestão de sistemas que garantem o maior cuidado com o meio ambiente também foi uma preocupação ao longo de 22 anos de operações. Sistema de despoeiramento, separação e destinação correta de resíduos sólidos e líquidos, passagem de ar em caminhões e vagões ao término da descarga, limpeza e varrição constante nas instalações, medições de níveis de ruído e controle de pragas fazem parte das ações diárias dos times operacionais. Além disso, o terminal segue com rigor todos os protocolos sanitários estabelecidos pela Portos do Paraná e Ministérios da Agricultura e Saúde.

Deixar uma resposta

Navigate