Novos parques para produção de energia solar produzirão juntos 752 mw no Piauí

O estado do Piauí – reconhecidamente no Brasil como uma região potencial para a geração de energia renovável – ganhará um dos maiores parques solares do país. Os empreendimentos juntos somam mais de 752,41 MW de energia.

Os complexos solares Marangatu I e II serão construídos na cidade de Brasileira (PI), produzirão 360 mw de energia limpa, sem agressões ao meio ambiente e à população. Para a sua construção o Grupo Interalli adquiriu uma área de 1.500 hectares.

Outra grande novidade é que o Grupo Interalli também está desenvolvendo – na cidade de Brasileira – o projeto para um novo parque fotovoltaico, o Complexo Carnaúba, que produzirá mais 392 MW de energia.

As obras para a construção do complexo Marangatu devem iniciar em breve. “Estamos aguardando a emissão das licenças ambientais de instalação para darmos início às obras”, explica o diretor do grupo Interalli, Fabrício Slavieiro Fumagalli.
“O Estado do Piauí tem se destacado nos últimos anos por estar atraindo investimentos para o setor de energia limpa, especialmente para a energia solar. Este empreendimento em Brasileira vai gerar, além de energia, emprego e renda para toda a região, em um momento em que os investimentos são muito importantes para o país”, diz Fumagalli.

Geração de emprego – A estimativa é que apenas a instalação do parque solar gere cerca de 1.000 empregos diretos e indiretos, contribuindo para a geração de renda em toda a região.

A energia solar, hidrelétrica, entre outras, transformadas em energia elétrica são, hoje, um recurso indispensável para o desenvolvimento socioeconômico de muitas regiões e países.
Fabricio Fumagalli disse que atualmente, com os avanços tecnológicos de geração e transmissão de eletricidade, muitos municípios têm obtido progresso econômico e desenvolvimento social, com baixíssimo impacto ambiental, bem como a expansão dos centros urbanos e aumento dos polos industriais.
“Uma das nossas premissas com as empresas prestadoras de serviços, que farão a construção dos empreendimentos, é que seja contratada a maior parte possível de mão de obra local. Logicamente que existem algumas funções mais específicas que carecem de maior experiência, mas em sua grande maioria, priorizamos a contratação local”, reforça Fumagalli.
Ele lembra que a capacitação da mão de obra local permitirá que moradores da região se qualifiquem profissionalmente, possibilitando que as pessoas sejam empregadas posteriormente em outras obras e até mesmo na fase de operação dos complexos.
“O desenvolvimento para a região virá com mais empregos, aumento na arrecadação de impostos, a movimentação do comércio local, e o aumento da visibilidade do município e do estado”, finaliza.
Piauí é destaque em energias renováveis
O Piauí ocupa a primeira posição em geração de energiua solar entre nove estados das regiões Norte, Nordeste e Sudeste – avaliados no último levantamento da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar) – e considerando a potência instalada, empreendimentos em construção, e a construir.

O estado alcançou o índice de 1.147,4 megawatts, à frente do Ceará (910 MW) e Bahia (804 MW), deixando para trás ainda Minas Gerais, São Paulo, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Paraíba e Tocantins.

Segundo o levantamento da Absolar, o Piauí é o segundo no ranking entre os estados com mais empreendimentos a construir (300 MW), ficando atrás apenas do Ceará (697 MW). Pela análise da Seminper, pelo menos nos próximos 15 anos a economia se manterá aquecida no setor de energias renováveis no Piauí.

O Governo do Estado apoia os novos investidores, assegurando compromisso com o desenvolvimento da população impactada. A exploração de energias solar e eólica requer a assinatura de protocolos garantindo contratação de mão-de-obra local e execução de ações sociais em áreas como educação e saúde.


Deixar uma resposta

Navigate