Morretes Chef promoveu a Semana das Farinheiras

 

Evento  foi promovido com o objetivo de valorizar a cultura farinheira e a gastronomia, típicas da região litorânea paranaense

Cópia-de-Delio-PrincipalO Morretes Chef foi encerrado reforçando o compromisso com a valorização da produção local. Na última semana do evento, parte da renda conquistada com a vendas dos pratos foi destinada para incentivar a produção artesanal da farinha de mandioca na região. Em processo final de recebimento do selo de Indicação Geográfica com apoio do da Adetur e do Sebrae/PR, a farinha de mandioca artesanal é um produto tipicamente paranaense com história centenária e sabor único. No entanto, a cultura de produção vem sendo reduzida a cada ano.

“Nosso objetivo com a campanha é melhorar a estrutura de produção local para que as farinheiras possam não só continuar a produção desta iguaria com alta qualidade, como elas possam receber turistas, ampliando a visibilidade e divulgando a cultura farinheira para mais pessoas”, explica a presidente do Morretes Convention e Visitors Bureau, Carmen Maria.

A gestora do Agronegócios da Regional Leste, do Sebrae/PR, Maria Isabel Rosa Guimarães, destacou o envolvimento de famílias nesta produção “Várias gerações vivem da produção e comercialização do produto. Talvez a cidade tenha um novo ponto turístico: a visitação às farinheiras!”, conta Maria Isabel.

A Adetur Litoral – Agência de Desenvolvimento do Turismo Sustentável do Litoral do Paraná é a entidade que representa, controla e promove a indicação de procedência litorânea, através de um conselho regulador que avalia cada produtor e produto por representantes internos e externos à produção a aplicação de um regulamento de uso para o selo. Garante, portanto, as qualidades únicas da farinha de mandioca e sua autenticidade de procedência.

Compreendendo que os produtos com indicação geográfica representam um importante instrumento de valorização de produtos e serviços, o Sebrae/PR iniciou em 2014 ações de sensibilização e proposição junto aos produtores de farinha de mandioca do Litoral paranaense, com o desafio de requerer a proteção do nome geográfico associado ao produto.

Produção

Paralelamente ao processo de documentação, o Sebrae/PR vem auxiliando os produtores envolvidos nas adequações das instalações de produção, na adoção de boas práticas agrícolas e de fabricação, análise financeira da atividade, e, laboratoriais dos produtos participação em eventos de capacitação rodadas de negócio, e também o desenvolvimento de projetos de embalagens, beneficiando as empresas com a agregação de valor ao produto, melhoria do processo da qualidade e segurança.

A gestora do Agronegócios da Regional Leste do Sebrae, Maria Isabel Rosa Guimarães, conta mais sobre a cultura farinheira: “Várias gerações vivem da produção e comercialização do produto. No entanto, há alguns anos está ocorrendo um movimento de evasão e encerramento de atividades de pontos de produção”, conta Maria Isabel. A produção tem alto valor agregado, já que suas práticas protegem a mata nativa. A produção tem volume pequeno, mas tem história.

O Morretes Chef foi realizado durante todo o mês de setembro com a presença de chefs em restaurantes da cidade. E a última foi dedicada à Semana das Farinheiras.

Compartilhe isso:

Email
Facebook
LinkedIn
Twitter
Imprimir

Curtir isso:

Curtir Carregando…

Tags: gastronomia, Litoral do Paraná, Morretes, Morretes Chef, Semana das Farinheiras

Compartilhar

Este post foi publicado quarta-feira, 03 de out de 2018 às 14:00.
Arquivado na categoria Litoral.
Você pode acompanhar os comentários deste post através do RSS 2.0 feed,

podendo ainda deixar seu próprio comentário, ou trackback proveniente do seu próprio website.

Texto Retirado do Blog da Luciane

Deixar uma resposta

Navigate