Terminal paranaense aumenta em 300% a exportação de milho por Paranaguá

Com ótimas condições climáticas, câmbio favorável e demanda de mercado a exportação de milho pelo Porto de Paranaguá está surpreendendo. No primeiro quadrimestre de 2019 o aumento foi de 32%. De  janeiro a abril, foram 892.419 toneladas embarcadas, tendo como principal destino o Irã. No mesmo período, em 2018, foram 677.554 toneladas exportadas.

Considerando apenas o mês, o aumento foi ainda maior. Em abril, no ano passado, nenhum volume foi exportado pelo Porto de Paranaguá. Este último mês, em 2019, foram quase 301 mil toneladas de milho exportadas.

“Para que se tenha uma ideia, durante todo o ano de 2018 foram exportadas 983,7 toneladas de milho. A expectativa é de que neste ano de 2019, o Porto de Paranaguá ultrapasse a marca de 4 milhões de toneladas de milho exportadas”, afirmou Fabrício Slaviero Fumagalli, diretor do Grupo Interalli, que opera terminal de grãos e de líquidos no porto paranaense.

300% A MAIS – O Terminal da Interalli, com operação no porto paranaense aumentou em 300% o volume de milho embarcado neste início de 2019. Entre janeiro a maio do ano passado foram exportadas 160 mil toneladas do produto. Este ano, no mesmo período, já foram movimentadas 500 mil toneladas de milho.

A Interalli grãos deverá movimentar o maior volume do produto, nos seis primeiros meses do ano, em Paranaguá e a  perspectiva de exportação de milho para o segundo semestre é ainda mais forte.

“As exportações tendem a aumentar a partir de julho, com a colheita. O milho movimentado por Paranaguá tem origem nos Estados do Paraná, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e outros ”, afirmou o gerente do Terminal da Interalli Grãos, Hélder Catarino.

A enorme segunda safra, cuja colheita já está em andamento no Paraná, um dos mais importantes produtores do Brasil, deve ser ainda maior. O Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento estima uma produção de cerca de 13 milhões de toneladas no Paraná, na segunda safra do milho, contra 9 milhões de toneladas na safra 2017/2018, um acréscimo de 42%. Na primeira safra, foram 3,1 milhões de toneladas contra 2,9 milhões, um crescimento de 9%.

De acordo com o (Deral), no ano passado, a produção de milho sofreu uma quebra pela seca, o que gerou uma redução na disponibilidade do produto para exportação.

 

Deixar uma resposta

Navigate